Início Análises e Teorias O problema de sites de reviews e críticos especializados

O problema de sites de reviews e críticos especializados

84
0
COMPARTILHAR

Batman V. Superman com nota 40 no Metacritic mas com 7.1 por usuários, quarta temporada de Arrow com 100% no rotten tomatoes enquanto a segunda de Demolidor ficou apenas nos 75%, após a polêmica personagem trans em Baldurs Gate a DLC chega a uma nota abaixo dos 40 pelos usuários do Metacritic, mas mantém “ligeiramente positivas” para os usuários de Steam. O que diabos está acontecendo?

 

Alguns acusam que a mídia foi comprada pelas grandes empresas, outros apontam favoritismo e há quem acusa as empresas de simples amadorismo. A verdade é que é necessário entender como funcionam os sites de notas e reviews para então, podermos tecer críticas concretas e talvez entender essas divergências nas notas.

 

Rotten tomatoes
Irei começar pelo site que é mais criticado. Rotten Tomatoes (tomates podres) é um site especializado em pegar reviews diversos na internet e agregá-los em seu medidor oficial. O site existe desde 1998 e atualmente faz parte do conglomerado da Warner Bros.

 

Para definir a nota, os editores do site coletam críticas de sites famosos (para um crítico ser considerado pelo rottens, ele tem de ganhar um numero específico de likes) e agregam a nota do crítico a medição de duas hipóteses do site:

Notas acima de 60 ganham o rótulo de fresh (fresco, novo).
Notas inferiores ganham o rótulo de rotten (estragado, podre).

 

Se o crítico não der uma nota, o editor do site faz um rótulo baseado na descrição do crítico. Usuários tem uma nota própria e basta você se cadastrar no site para poder dar suas notas na sessão “Audience Score”.

 

Possíveis defeitos
Basicamente tudo se dilui a um “sim” ou “não”, a porcentagem de aceitação do filme que faz a nota final da obra e isso funciona bem com obras aclamadas e obras majoritariamente ruins… Mas é extremamente agressivo com filmes “medianos”.

 

Por colocar o limite do “não” em 60%, se as notas ficarem entre 5 e 7, há uma grande chance do filme alcançar números bastante inferiores. Foi o caso de Batman v. Superman e X-Men Apocalipse que, apesar de não serem filmes excelentes, receberam notas muito abaixo da média geral dos votos.

 

Metacritic
Site especializado em manter placares de diversas formas de entretenimento, não só filmes e séries. Hoje controlada pelo grupo CNET, que controla também sites como o GameFAQs e Game Spot.

 

O Metascore é baseado também na conjunção de várias críticas famosas e a conta final do produto é dada ponderando a especialidade e aclamação de cada crítico com sua mídia. As críticas indexadas são também postadas com um breve resumo e link, caso o usuário esteja interessado em vê-la por completo. O site trabalha com uma representação numérica de 0 a 100.

 

Possíveis defeitos
Não sei exatamente o parâmetro que eles usam para dar mais peso a um crítico que outro. Então talvez pode acontecer um favoritismo.

 

Assim como o Rotten Tomatoes, o site permite que usuários possam fazer sua própria nota. Porém ficam abertos a ataques de floods como foi o caso do jogo Baldurs Gate onde diversos jogadores boicotaram o jogo sem nem ao menos jogarem. Baixando a nota drasticamente.

 

Steam
Um programa criado pela Valve para comprar e jogar diversos jogos para computador. Como forma de ajudar os jogadores a escolherem melhor os jogos a comprar, o aplicativo criou um sistema de nota e comentário guiado por usuários e que permite também o cadastramento de curadores especialistas para fazer resenha dos jogos.

 

Para dar uma nota a um jogo da Steam, você deve primeiro possuir o jogo, parece apenas uma regra besta, mas é uma boa proteção a ataques e floods em jogos por causa de polêmicas. Por isso Baldurs Gate continua com uma nota boa.

 

Possíveis defeitos
Assim como o Rotten Tomatoes, tudo acaba se resumindo a um “sim” ou “não” o que prejudica alguns jogos legitimamente bons, mas que sofrem de algum defeito.

 

Um exemplo recente pra mim foi Tree of Savior, considerado sequência espiritual de Ragnarok. O jogo é legitimamente divertido e bonito, com um complexo sistema de classes, mas atualmente se encontra com críticas “neutras”, pelo jogo conter alguns bugs de lançamento. E não é incomum ver jogadores que gostaram do jogo mas não dão “sim” por causa desses pequenos problemas, fazendo com que o jogo pareça ruim.

 

O problema dos críticos contra o público em massa
Batman V. Superman tem uma votação de 22% no rotten tomatoes entre os críticos e de 66% (três vezes mais) entre o público em massa. A quarta temporada de Arrow tem 100% de aceitação entre críticos no mesmo site e apenas 49% entre o público… quem está errado ou certo nessa conta?

Falando de um modo geral, críticos não são os supremos porta vozes da verdade, e isso é um pouco estranho porque eu mesmo me considero um crítico e faço resenhas aqui nesse site. Mas a questão é, críticos nem sempre acertam.

 

Eles são também suscetíveis a erros e a embarcarem num hype (positivo ou negativo) em cima de uma obra. Quando o review de um jogo ou filme acaba se tornando obrigação e não mais uma paixão, o senso de julgamento também é prejudicado.

 

Críticos podem ser comprados?
Infelizmente sim, alguns críticos estão sujeitos a serem comprados. A exemplo temos o escândalo do Gamergate que iniciou após a comprovação que a game designer Zoe Quinn mantinha relacionamentos com jornalistas críticos de games e que supostamente dariam notas positivas a ela por isso. O caso logo evoluiu para uma questão de ética jornalística e sexismo na comunidade de videogames.

 

Outro episódio que mancharia a questão de ética jornalística em jogos digitais foi o envolvimento da Machinima UK com o Youtube para que youtubers fizessem reviews positivos do Xbox One. Porém alguns casos isolados não podem virar questão de regra. Não é incomum usuários acusarem sites grandes da cultura nerd como Omelete de terem sido comprados após uma review polêmica.

 

Então… qual a função de um crítico?
Num sentido geral, a obrigação do crítico não é ser o termômetro ideal de uma obra, dar o veredito se um filme ou jogo é bom ou ruim. Seu objetivo é buscar o diferencial dela, realçar ideias inovadoras e estruturas narrativas surpreendentes… ou criticar a obra por não oferecer nada de novo.

 

É por isso que nesse site eu me esforço para associar as obras (livros, HQs, filmes, séries e games) com algo das ciências humanas, de preferência de História. Para mostrar como que uma obra da cultura geek, que geralmente é considerada inferior por muitas pessoas, tem um potência estética própria que nos dá acesso as mais diversas possibilidades narrativas e nos faz aprender sobre a mais variada gama de assuntos.

 

Portanto, não tome a palavra de um crítico como o ponto final por uma obra, busque para extrair o melhor da obra em si, para entender um ponto da narrativa que parecia perdido, ou para confirmar um mal uso da mídia em questão para o objetivo desejado. Mas, acima de tudo, experiencie a obra por conta própria e tire o que você achar melhor dela.

Facebook Comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here