Início Análises e Teorias Os responsáveis pela qualidade de um filme

Os responsáveis pela qualidade de um filme

96
0
COMPARTILHAR

Um filme é um complicado processo de criação que envolve a participação de muitas equipes e pessoas. Quando uma obra sai com qualidade… quem deve receber os crédios? Devido ao grande sucesso do filme do Deadpool iremos usá-lo como comparação.

Muitos fãs estão dispostos a oferecer o “perdão” a produtora pelo sucesso do filme, entenda porque o mérito do filme tem pouca relação com a produtora. De fato, a empresa mais atrapalhou que ajudou.

 

O cinema da Era dos Blockbusters
Se você foi uma bom pessoa e leu meu antigo texto sobre autoria de jogos e filmes, sabe que o cinema passou por diversas eras, onde cada um dos múltiplos papéis do cinema tiveram peso diferentes conforme a época. Como o cinema autoral e a relação com o diretor e a era das estrelas pesavam sobre os atores.

Na era dos blockbusters os grandes filmes começaram a contar com orçamentos milionários e retornos ainda maiores e por isso ficam na mão da produtora. Então uma grande equipe é montada por ela para cuidar de cada aspecto da obra. Vamos abordar as partes em separado.

cable-to-be-in-deadpool-sequel-6-actors-that-could-play-him-841258.jpg

Roteiristas e equipe criativa
O ponto inicial de qualquer filme é o “argumento”, que numa definição mais rasa possível é um resumo do roteiro. É ele que serve como modelo para a compra ou não do trabalho por executivos para que seja então desenvolvido. Uma vez aprovado, a ideia é desenvolvida melhor no roteiro.

O roteiro é basicamente a estrutura narrativa do filme. A divisão dos atos, descrição dos personagens, as falas mais memoráveis. Tudo é construído no roteiro. Alguns roteiristas são mais descritivos e exigentes enquanto outros são mais vagos, deixando maior liberdade criativa para o diretor.

No filme do Deadpool os roteiristas são a dupla criativa Rhett Reese e Paul Wernick. Separados eles tem diversos trabalhos, mas atuando juntos temos o desprezível G.I. Joe: Retaliação uma franquia fadada ao sucesso que não nossa atenção e pouco um roterista te a oferecer.

Porém a dupla trabalhou também em Zumbilândia, que teve críticas positivas principalmente pela mistura entre comédia e violência, o que sem dúvida é uma mistura necessária para um filme do mercenário tagarela. Deadpool nos é apresentado como um filme com uma narrativa não surpreendente, mas com boas piadas e uma boa distribuição do enredo.

2012-07-13-elysium05.jpgInvestidores e produtores
Investidores fazem a ponte entre a produtora e a equipe criativa. São eles quem escolhem qual projeto devem tocar pra frente e qual deve ser arquivado. Quando há um grande universo coligado, ou uma franquia sendo construída, um dos produtores fica responsável para manter a obra coesa com o resto da franquia. Na Marvel Studios o responsável por isso é Kevin Page, por exemplo.

Na Fox Estúdios o responsável por esse trabalho é Simon Kinberg, também responsável pela bagunça que é o universo dos mutantes (junto com a outra produtora, Lauren Shuler Donner) e pelo criticado filme do Quarteto Fantástico de 2015. O trabalho dele seria ter o cuidado de inserir Deadpool no universo mutante e o melhor jeito de fazer isso seria colocar um X-Men de peso na franquia dentro do filme. Trouxeram o não tão famoso, mas renovado Colossus.

 

colossus.jpg
Pelo menos ficou bem melhor.

O terceiro produtor é ninguém menos que Ryan Reynolds e esse sim, suou a camisa pelo filme. A ideia do filme para o Deadpool vem anos antes do famigerado X Mens Origens: Wolverine, e vinha como pedido de Ryan Reynolds, que conseguiu negociar a abominação ao personagem no filme do Wolverine em troca de uma chance de um spin off.  Se esse projeto saiu da gaveta, temos de agradecer ao desempenho de Reynolds e ao próximo item dessa lista.

ryan-reynolds-tim-miller-deadpool-movie-image-slice-600x200

Diretor e equipe técnica
Todos os aspectos técnicos do filme estão nessa categoria. A iluminação e enquadramento fica com a equipe de fotografia, a sonoplastia e efeitos sonoros com a equipe de som, efeitos especiais, figurino e tantas outras especificações tem suas próprias equipes e o responsável por organizar todos eles é o diretor do filme.

Sendo o diretor o grande maestro dos aspectos técnicos do filme, temos em Deadpool o estreante Tim Miller, que fez sua carreira como especialista em efeitos visuais, conseguiu sua primeira chance como diretor a Fox, que provavelmente não queria arriscar no orçamento por um diretor caro.

Porém Miller conseguiu mostrar seu valor e inclusive no aspecto de sua especialidade, Deadpool tem grandes efeitos e cenas de ação e sua classificação R (16+ no Brasil) possibilitou algumas cenas mais violentas que ficaram ótimas na tela e na caracterização do personagem.

 

Produtora e distribuidora
Basicamente é o cofre do projeto, quem capta recursos e administra valores em um filme. É papel da produtora balancear riscos e investimentos para que o filme não seja um fracasso comercial, ou seja, não arrecadas o suficiente para conter os gastos do filme. Aqui não tem segredo, a principal responsável é a 20th Century Fox com a Marvel Entertainment fazendo o segundo plano.

O papel da Fox seria de dar sinal verde para o filme, coisa que não veio em pelo menos uma década de insistência e negociações com Ryan Reynolds como produtor.  Outra especificidade da produtora é lidar com o orçamento, e a Fox liberou o menor orçamento possível para o filme com medo de dar bomba por ser um filme de classificação alta. (Mas liberou uma grande cifra para o outro projeto amplamente criticado, o Quarteto Fantástico).

Agora que os executivos da Fox viram o sucesso comercial do filme, correm atrás para autorizar projetos semelhantes e continuações como o filme da X-Force e a sequência com o Cable, além de colocar o terceiro filme do Wolverine com classificação adulta. Mas fica a pergunta, será que eles entenderam que um filme feito com carinho e fidelidade pelo material fonte que fez o sucesso, e não apenas sua classificação?

deadpool-stars-ryan-reynolds-and-morena-baccarin.jpg

Atores
Os que literalmente dão a cara a tapa em um filme. Atores tem que interpretar as linhas do roteiro, serem dirigidos pelos diretores e que dão um rosto para os personagens. Cada gênero exige algo dos protagonistas. Dramas precisam de pessoas que sabem demonstrar bem seus sentimentos. Terror precisam de pessoas que possam passar a sensação de medo para os espectadores e comédia… para que saibam fazer piadas soarem naturais.

Algumas piadas podem ser escritas já nos roteiros, mas é tradição dos filmes de comédia que muitas sejam feitas no improviso pelos atores durante a gravação. Uma série de piadas é feita em cena e o diretor escolhe qual saiu melhor. Em filmes como “O Âncora” é possível ver as piadas que foram cortadas em extras, ou na pseudo sequência que saiu do filme direto para DVD. Em Deadpool não há dúvidas que a maioria das piadas foram improvizadas por Reynolds.

 

Conclusão
O cinema é uma expressão artística multimídia então é fundamental que todas as partes estejam em sintonia. Cada um tem seu papel na obra como um todo e devem respeitar seus limites e o dos outros que estão trabalhando.

Deadpool pode ser um bom exemplo de comparação por ter tido uma representação tão ruim anos atrás pela mesma produtora. Não é de fato a produtora que agora está antenada com o gosto dos fãs, mas sim toda uma equipe criativa que conseguiu extrair o melhor possível do que tinham em mão.

Facebook Comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here